domingo, 27 de fevereiro de 2011

Um Jardim-Bosque.





Sobre o jardim botânico de Colónia gostaria de realçar algo que salta à vista de cada vez que lá vou. Estas fotos foram tiradas hoje, e como se pode ver o Inverno continua: há lama nos caminhos e folhas mortas por todo o lado, e mesmo assim num dia de chuva o Jardim não deixa de ter muitos visitantes. Ninguém parece incomodado com o facto de grande parte dos passeios serem de terra batida e estarem encharcados. Aqui o mais importante parece ser o bem estar das plantas, que estão dispostas de uma forma muito natural, como se tivessem sido semeadas ao sabor do vento. Muitas delas como os crocus, narcisos e helleborus naturalizaram mesmo e surgem por todo lado, aproveitando o húmus e a rica camada de matéria orgânica que cobre todo o jardim. Os caminhos vão percorrendo o jardim no meio do arvoredo e a sensação que temos é que se está num qualquer bosque, muito mais do que num jardim. Alem de parecer natural, este tipo de desenho tem a grande vantagem de ser mais barato, não foram gastos certamente balúrdios em pavimentos de pedras caras e o resultado é mais ecológico e mais interessante. Algo que devia certamente ser tido em conta, quando se preparam para intervir no Jardim botânico de Lisboa.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Íris, Helleborus e Garças

No fim-de-semana passado voltei ao Jardim Botânico para ver se os crocus já estavam abertos, mas encontrei um desastre! Os pobres crocus estavam em muito mau estado, primeiro a chuva e depois o gelo dos últimos dias tinha feito grandes estragos. Por isso fui procurar o que havia mais em floração pelo jardim:


Havia estes Iris reticulata, do híbrido Pauline. minúsculo mas de cor muito forte. A Iris reticulata é um bolbo que floresce no final do Inverno, e ao contrario do Iris hollandica por exemplo, deve ser plantado no Outono pois precisa de um período de dormência. Havia também mais Flocos-de-neve:


Entretanto encontrei mais Helleborus, muito bonitos... não sei o que há nesta planta mas acho-a verdadeiramente interessante. Cresce debaixo da copa das árvores em solos ricos, em Portugal encontra-se em terrenos pedregosos e na orla das Florestas.

As flores do Helleborus têm entre 3 e 5 cm de diâmetro, e apresentam a particularidade de abrirem voltadas para o solo, por isso por vezes é preciso levantar a flor para a puder apreciar melhor.

Todos os narcisos estão entretanto prestes a abrir, decerto vão trazer mais alegria ao jardim. Por ultimo, junto ao lago central encontrei esta garça-real que estava a pescar...uma bela surpresa!

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Maior colecção de camélias do mundo!



Aqui está um exemplo de alguém que dedicou toda a sua vida à produção de camélias, inclusive criou variedades que antes não existiam. Este vídeo também veio mostrar um mundo que eu desconhecia, afinal temos grandes grandes viveiros de camélias em Portugal. Este fica em Vila do Conde, quem puder que faça um visita e assim está a apoiar o que é nosso!Mais informações aqui.

How To Be A Gardener



Recomendo esta excelente série da BBC, com Alan Titchmarsh. Todos os episódio das season I e II estão agora disponíveis no Youtube!


domingo, 20 de fevereiro de 2011

Colónia: Volksgarten

O Volksgarten é um jardim que fica perto da zona onde estou a morar. É mais um dos Jardins de Colónia que merece uma visita. Como o frio regressou em força, este Sábado à tarde estava vazio. Tem uma área muito grande, parte da qual ocupada por extensos relvados.


O Talhão das Roseiras: aparentemente existe aqui vários tipos de Roseiras, mas por enquanto à espera de melhores dias.


O jardim tem várias veredas de árvores de grande porte, algumas delas centenárias.

Foi construído 1889, na altura ficava fora da cidade. Hoje em dia faz parte da cintura verde de Colónia e tem acesso fácil por metro.


No Centro há um lago de grandes dimensões e com muitos patos!

Foi pena estar tão escuro e tanto frio, mas Volksgarten merece uma segunda visita quando houver sol...

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Exposição de Camélias no Jardim Botânico de Colónia.






A exposição de Camélias está a decorrer numa das estufas dedicadas à flora subtropical. Não sei se as Camélias foram ali colocadas de propósito, mas o que é certo é que, ainda há umas semanas atrás tinha visitado esta mesma estufa e não reparei em nenhuma Camélia, apenas parecia haver Fetos Arbóreos e Bambus, o que encontrei agora foi um mar de flores! Por todo o espaço, dezenas de variedades de Camélias desde o tecto até ao chão, organizadas em dois corredores da estufa, que foi pequena para a quantidade de gente que quis visitar a exposição.

Confesso que as Camélias nunca me interessaram muito, sempre as vi como mais uma flor parecida com as Rosas, mas vê-las agora assim em tão grande variedade de cores e formas, faz-me querer um dia plantar uma delas. Sei que não são fáceis de Cultivar em Portugal, quer seja porque exigem solos ácidos, quer porque não se dão bem com o Inverno, sobretudo no interior norte e centro, devido ao frio seco e às geadas que fazem com que as flores não cheguem a abrir. Aqui na Alemanha aparentemente são mantidas em estufas durante todo o Inverno, mas algumas variedades parecem adaptar-se bem às regiões mais amenas.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Jardim Botânico de Colónia: Primavera?

Hamamelis mollis, as Flores deste arbusto têm um perfume muito intenso.

Helleborus (conhecido em Portugal como  Erva-dos-besteiros).

Eranthis Hyemalis, pertence à mesma família que os Ranunculus.
Os Crocus (ou Açafrão)  também estão a rebentar, embora sejam mais pequenos que o normal este ano, aparentemente devido ao Inverno ter sido extremamente rigoroso.

É incrível a quantidade de Crocus que há por todo o Jardim...

Literalmente cobrem os relvados inteiros!

Ou seja, são bolbos que naturalizaram aqui e agora são cada vez mais. Mas formam um espetáculo muito interessante:

Alguém em Lisboa devia-se lembrar de plantar também Crocus nos nossos Jardins Botânicos, não há mal nenhum em trazer um pouco de cor à vida das pessoas. Ainda por cima o Crocus é um género mediterrânico com certeza não iria exigir nada mais do que ser semeado.


Galanthus nivalis, em Portugal não é muito conhecida, mas chama-se floco-de-neve.

Mais Helleborus, desta vez de uma cor mais forte. Em Portugal cresce bem no interior do país, e também existe um género silvestre. Lindíssimos!

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Colónia: Campus da Universidade.

A Alameda central do Campus da Universidade de Colónia é composta por um enorme relvado ladeado por árvores a perder de vista...tão longe afinal, da nossa Cidade Universitária, ladeada de carros a perder de vista...


Vista durante os últimos nevões de Dezembro: