domingo, 29 de maio de 2011

Acanthus e Agapanthus.





























Os dois lado a lado, no jardim do Príncipe Real formando um conjunto muito interessante e de grande beleza. Acanthus mollis é uma herbacea nativa da região mediterrânea e é considerada uma das primeiras plantas a ser cultivada em jardins. Aparentemente os romanos adoravam a sua inflorescência e pensa-se mesmo que esta foi a inspiração para as colunas do estilo coríntio. É de fácil cultivo no nosso país, e gosta sobretudo da sombra. O Agapanthus já todos o conhecemos dos nossos jardim, as suas belas flores de cor azul, aparecem nesta altura do ano e é impossível não reparar nelas, neste caso, quem sai a ganhar é o Jardim do Principie Real que está claramente mais bonito.

sábado, 28 de maio de 2011

Jardim Botânico Munique: Alpium e Arburetum.









Deixo aqui um ultimo post sobre o jardim botânico de Munique, desta vez sobre o Arboreto e sobre a zona das plantas alpinas (Alpium), correspondente às três primeiras fotos. A primeira flor desta serie é uma Pulsatila vulgaris planta já de transição para a zona de pradaria pertencente à família das ranunculáceas. As ultimas três fotos são do Arburetum, uma das partes mais interessantes deste jardim. Há que dizer que no Jardim Botânico de Munique tudo é em grande e quem o visitar prepare-se para uma visita intensa, com exemplares surpreendentes em cada recanto. Munique é considerado um dos melhores jardins botânicos do mundo e depois de la ter estado, embora conheça poucos, acho que deve ser difícil haver melhor. Destaco o facto de vermos jardineiros por todo o lado sim, porque um jardim bem cuidado faz-se diariamente e à custa de muito trabalho.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Maio no Jardim Gulbenkian.





























Regressar a Lisboa é para mim regressar ao Jardim Gulbenkian, tenho um ligação emocional a este sitio desde criança. E é o meu jardim preferido de Lisboa, não pela diversidade vegetal que apresenta, mas antes pela forma como está desenhado e pelos diversos ambientes naturais que foram criados, aqui mesmo no meio da cidade. No mês de Maio o jardim esta cheio de uma luz forte filtrada pela copa das árvores, que faz do passeio pelas suas veredas um momento único e cheio de inspiração. Depois, podemo-nos deter junto ao canteiro das roseiras que estão agora em plena floração e marcam um contraste com o puro verde envolvente. Vale a pena ir agora.

domingo, 15 de maio de 2011

No Jardim Amália Rodrigues...




























Quem visitar a feira do livro e subir até ao alto do Parque Eduardo VII, por estes dias vai poder ser recompensado com este bonito cenário, nenúfares e íris aquáticos em flor, que nos reportam para um ambiente algo oriental. Para mim foi quase totalmente oriental, pois enquanto tirava as fotos apareceram duas raparigas japonesas e pediram para lhes tirar fotos a elas no jardim e no final até tiraram uma foto comigo, muito simpáticas :)

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Irís deste ano.


























Depois de vos ter mostrado o ano passado em Junho as flores e em Outubro os bolbos já levantados da terra, este ano completa-se um ciclo para os meus Iris hollandica com esta flor lindíssima, a primeira de muitas outras.

domingo, 8 de maio de 2011

Munique: Castelo de Nymphenburg.





























O Castelo de Nymphenburg fica mesmo ao Lado do Jardim Botânico de Munique, e quem visite um não pode deixar de visitar o outro porque vale mesmo a pena. Infelizmente não tinha muito tempo e a área talvez mais interessante dos jardins ficou mesmo por visitar. Para além do jardim formal logo nas traseiras do Palácio, existe uma área gigante de mata ajardinada com lagos, ribeiros e um grande canal central. Depois da minha visita intensa ao magnífico jardim botânico de Munique, Nymphenburg acabou por sofrer de alguma falta de entusiasmo da minha parte, e já não tive vontade de andar pela imensa floresta, fica para a próxima.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Aquilegia.



























Cresceram este ano pela primeira vez no jardim da minha mãe, a partir de raízes empacotadas que se vendiam no lidl. Segundo o rotulo chama-se Aquilegia alpina, são de uma cor lindíssima muito forte só no tamanho foram uma desilusão, não sei se é por ser a primeira flor ou por estarem um pouco à sombra: achei a planta e flor bastante mais pequena do que eu estava à espera.

Gostaria ainda de agradecer todos os Comentários das ultimas mensagens e peço desculpa por não ter respondido pois, desde Munique e entretanto com o meu regresso a Portugal, não tenho tido muito tempo para estar on-line. O meu Obrigado a Todos que comentaram.