terça-feira, 30 de outubro de 2012

Tulipas e Alliuns.

Comprei alguns bolbos para plantar este ano, e decidi apostar nos que se deram bem o ano passado e anteriores. Pois segundo reparei as Tulipas Darwin são as que se deram melhor no meu jardim e foram as únicas a regressarem dois anos seguidos (não garantindo que voltem um terceiro). Mas ao que parece as Tulipas Darwin são os híbridos que melhor  naturalizam, sendo um dos grupos mais confiáveis ​​de tulipas para um desempenho perene. As Darwin são um dos híbridos menos manipulados ao longo dos anos, logo o seu bolbo não foi tão seleccionado para o clima holandês e para a produção comercial.
Alguns conselhos como plantar tulipas em Portugal para o clima de rusticidade 9-10:

  • plantar apenas no final de Novembro ou inicio de Dezembro, quando o solo está já fresco. Isto evita as folhas aparecerem "ardidas" no ano seguinte, e facilita a perenialização;
  • Nunca plante as tulipas ao sol directo, escolha zonas de sombra ou voltadas a nascente ou mesmo a norte;
  • Plante de forma profunda (cerca de 15-20 cms) em solo com boa drenagem e leve, de preferência alcalino. Pode acrescentar uma mistura de brita de origem calcaria para o tornar mais alcalino;
  • escolha sempre uma zona fresca, de preferência que esteja sujeita a geada, as tulipas necessitam de um Inverno frio para poderem completar o seu ciclo normalmente, e assim terem hipóteses de naturalizar;
  • No entanto não há necessidade de colocar os bolbos em refrigeração em Portugal, o nosso frio é suficiente para florirem o primeiro ano, não significando porem que se tornem perenes, sobretudo no Litoral Oeste e a sul do Tejo.
  • Nunca regar o solo onde estão as tulipas após estas entrarem em dormência no Verão, isso provoca o seu apodrecimento. 
  • Não deixar produzir semente, cortar a "cabeça" da tulipa após floração! 
  • Nunca cortar as folhas depois de dar flor.
  • Usar adubo para fortificar o solo durante a floração.

As tulipas-espécie, são no entanto as que  naturalizam mais facilmente, melhor que todo e qualquer híbrido. Existem algumas especialmente adaptadas ao clima mais ameno do sul da Europa: exemplo: Tulipa praecox  Tulipa turkestanica ou Tulipa clusiana .

Clima de Rusticidade 8 em Tás-os-Montes: O clima tem um papel fundamental na naturalização das tulipas, e Tás-os-Montes tem em Portugal o melhor clima para estes bolbos. Os Invernos com gelo e neve frequentes, com o solo bastante frio grande parte do ano, apresenta as condições ideais. Podem ver aqui no blogue Travancas da Raia, tulipas naturalizadas.

Outros bolbos em que decidi apostar foram os Allium. Sobretudo o Allium sphaerocephalon, e o Allium schubertii duas espécies de allium que se deram muito bem lá em casa. Sendo que os grandes alliuns híbridos que plantei, nenhum deles vingou o ano passado.

http://www.powells.com/biblio?show=HARDCOVER:USED:9780881927634:15.50&page=excerpt
http://www.flower-gardening-made-easy.com/tulips.html
http://travancasdaraia.blogspot.pt/2010/05/agora-sim-chegou-primavera.html

domingo, 28 de outubro de 2012

Poaceae.

Miscanthus sinensis e Bambu.

                                                                                                                                                                                         Cortaderia sp. 








Em Outubro a Luz de Lisboa muda, é possível identificar esta mudança também nas cores que as plantas adquirem, e é nesta altura do ano que uma família de plantas em particular, atinge o seu zénite: as gramíneas, família Poaceae. No Jardim Gulbenkian existe um bom numero de géneros de Gramíneas  sendo parte fundamental do esquema de plantação do jardim, introduzem estrutura e até ajudam a desenhar a arquitectura do espaço.

Miscanthus sinensis é usada sobretudo nas zonas junto aos regatos, esta planta, originaria da China e Japão forma grupos densos a partir de um rizoma subterrâneo. A sua inflorescência é muito ornamental e projecta-se bem acima das folhas. O seu cultivo é fácil, mas há que ter cuidado pois pode tomar proporções indesejadas, não sendo recomendado para um jardim pequeno. 

Os bambus são os membros de maiores dimensões desta família. dois padrões gerais podem ser atribuídos à forma de crescimento do bambu: em "aglomeração" ou touceiras, ou  de forma "alastrante" (monopodial). As espécies de bambu do tipo "aglomerado" tendem a se espalhar lentamente, sendo o padrão de crescimento dos rizomas simplesmente expandir a massa de raízes gradualmente, de forma semelhante às outras gramíneas ornamentais. Os bambus "alastrantes", por outro lado, espalham-se, principalmente através das raízes e / ou rizomas, que podem-se espalhar rapidamente, enviando até colmos novos para romper a superfície. É necessário tomar cuidados no cultivo dos bambus alastrantes, devido ao seu potencial para um comportamento agressivo.

Cortaderia, vulgarmente conhecida como Erva das Pampas, é uma espécie nativa do sul da América do Sul, incluindo as Pampas argentinas, de onde provem o seu nome. É uma Erva alta, que cresce em touceiras densas que podem chegar a uma altura de 3 m. O seu potencial ornamental é óbvio  embora devam ser tomados muitos cuidados em Portugal, onde esta planta se adapta muito bem devido ao clima mais húmido que em outros países mediterrâneos. Já se tornou uma espécie invasora em toda a faixa Litoral oeste, da Estremadura até ao Minho. O Algarve apresenta também já algumas populações instaladas, sendo o seu crescimento exponencial.

Fica um pequeno video sobre esta família vegetal:



http://www.ci.uc.pt/invasoras/files/27penachos.pdf

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

O Outono em Munique.

Vista do Monopteros a partir da margem do lago.
O Pagodenburg visto da margem oposta
Monopteros em Schlosspark Nymphenburg

A minha amiga que vive em Munique enviou-me algumas imagens do Outono naquela cidade, a meu pedido, para que eu pudesse colocar aqui no blogue. São imagens do parque do Palácio Nymphenburg. Nymphenburg,  com os seus 800.000 m² de área verde, é um parque fantástico mesmo ao lado do Jardim botânico, quem for a Munique não pode deixar de visitar os dois!

Nas fotos imagens de um dos lagos, com alguns dos pavilhões construídos no parque: O Monopteros que é um templo neoclássico, erguido entre 1862 e 1865. E o Pagodenburg (1719), Casa de Chá Real octogonal de dois andares, com decoração de azulejos no piso inferior e Chinoiserie no superior.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Para inspiração...



Para inspiração e não só, também para aprender com os melhores. Dois episódios recentes do Gardener´s world, um programa britânico sobre jardinagem que já dura desde 1968, sendo um dos mais antigos programas de televisão do Reino Unido. Actualmente o apresentador líder é Monty Don, mas muitos outros famosos jardineiros passaram por este programa. Vale a pena ver e absorver um pouco destes magníficos jardins!
http://www.gardenersworld.com/

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Jardim Rafael Bordallo Pinheiro.



Repuxo das abelhas

























                                           Vereda de tílias 


O Jardim Rafael Bordallo Pinheiro fica no Museu da Cidade e foi criado tendo como base os já existentes jardins do palácio Pimenta, construído no século XVIII. A realização de projecto é de Joana Vasconcelos e são usadas cerca de 1200 peças icónicas da autoria de Bordallo Pinheiro. Lagartos, cobras, caracóis gigantes, enormes vespas ou lagostas, bem como uma representação da famosa fábula da raposa e da cegonha... todas elas peças de faiança da famosa Fábrica das Caldas da Rainha. O efeito é surpreendente! 

Em termos de plantas, a base é um jardim formal de buxo, mas há a acrescentar muitas árvores, entre elas Magnólias, ciprestes, Pinheiros e tílias. Vale a pena visitar!

Todas as fotos são do meu amigo Manuel Modoni, obrigado!