sábado, 31 de outubro de 2015

Estufa Fria de Lisboa




Gunnera manicata







Simplesmente um dos sítios mais fantásticos da cidade de Lisboa, para alem de ser um excelente jardim. Foi inaugurada em 1933 no local de uma antiga pedreira, aproveitando o espaço aberto pela extracção de pedra e a presença de nascentes de água.  Nas três estufas estão presentes centenas de plantas dos trópicos e sub-trópicos, numa disposição muito interessante e bem conseguida. 

Está a sofrer obras de restauro mas o espaço encontra-se quase todo visitável. Estive lá  há umas semanas  enquanto decorria a exposição de orquídeas de Lisboa, confirmo que merece sem duvida uma visita. 

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Final de Outubro no jardim

Echinops ritro, Achillea millefolium, Verbascum e Euphorbia.
Stipa tenuissima, Euphorbia 
Verbascum bombyciferum, Artemisia, Stachys lanata. 
Verbena bonariensis, Euphorbia characias, Stipa e Artemisia 
Sedum "Herbstfreunde", Stachys lanata
Perovskia e Miscanthus "Zebrinus"
Sedum "Matrona", Artemisia, Cynara
Ultima anémona japonesa. 
Ultimas rosas...

Stachys, Achillea millefolium, Carex, Valeriana, Festuca glauca. 
Achillea, Pennisetum, Stachys, Verbena bonariensis, Verbascum, e Euphorbia. 
Stipa tenuissima, Cotinus
Ruta, Salvia officinalis, Festuca glauca

Assim vai o jardim neste Outono. É bom ver as diferentes texturas desenvolverem-se à medida que cada planta cresce, criando interesse no jardim mesmo numa altura em que a maioria das flores já se foi.  As fortes chuvadas das ultimas semanas estimularam o crescimento vegetativo e isso resultou de certa forma numa segunda primavera, Mas, rapidamente este crescimento será travado pela descida das temperaturas, em especial durante as noites que já são bem frias. 

É mais um ciclo que se fecha no Jardim, a partir de agora os dias serão cada vez mais pequenos, e as plantas vão acompanhar esse ritmo entrando numa fase de renovação das estruturas vegetativas. 

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Um jardim ao sair de casa














Eis como deviam ser todos os ajardinamentos que se fazem nas urbanizações de Lisboa...enfim, sabemos que não pode ser, mas todos deviam ter direito a este pequeno grande luxo de ter um jardim de água ao sair de casa. Bem desenhado, surpreendente e  sobretudo muito aprazível, fica numa urbanização recente na zona do Alto dos Moinhos,  vale a pena passar lá para ver.

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Vivazes no Outono

Achillea filipendulina, Nassela tenuissima, Phormium

Achillea filipendulina, Nessela tenuissima.

Pinnisetum
Pennisetum e Nessela tenuissima
Gaura
Achillea  filipendulina
O Parque da Quinta da Granja em Lisboa é um bom exemplo do uso de vivazes nos espaços públicos da cidade. Ainda que simples, a plantação é efectiva e alegra todo o Verão, mas não deixa de ser também interessante quando chega o Outono. Isto acontece, porque se podem apreciar as inflorescências destas plantas, mesmo quando terminada a floração. As flores secam, mas mantêm-se com o mesmo porte durante mais algumas semanas, conseguindo-se assim a mesma textura, apenas a cor muda. É uma forma inteligente de se manter o interesse dos canteiros durante mais algum tempo.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Início de Outono.

Anemone hupehensis

Baga de teixo


Anemone hupehensis
Anemone hupehensis

O Outono sempre foi uma das minhas estações preferidas juntamente com a primavera; nos jardins, depois de uma longa época estival, dá-se o renovar de uma certa tranquilidade e ao mesmo tempo que se finaliza um ciclo, inicia-se logo outro cheio de esperança. Há uma vontade renovada de fazer e plantar, redefinir canteiros...planear novos esquemas, enfim, um sem numero de coisas apenas possíveis neste início de Outono...

As fotos são de algumas plantas no Jardim Gulbenkian. Como sempre nesta altura as Anemone hupehensis, ou anémona-do-Japão estão no seu melhor, um verdadeiro show. É preciso conhecer esta planta ao vivo para verdadeiramente a saber apreciar. As fotos nunca lhe fazem verdadeiramente justiça. 

Destaco ainda o Teixo, género Taxus, que nesta altura apresenta as suas características bagas de cor carmim. Bela árvore. 


Todas as fotos neste post são da autoria do meu amigo Carlos Neves, Obrigado.