terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Início da Primavera em Londres

Crocus sp


Galanthus nivalis

Galanthus nivalis

Galanthus nivalis

Galanthus / Helleborus 'Spring Promisse' / Helleborus 'Harvington Red'

Helleborus 'Viv Victoria'
Narcissus cyclamineus

A Primavera está por aí e os dias crescem em Londres. Os jardins ganham aos poucos cor mas, os meus pensamentos estão em Portugal e no meu jardim em particular. Tenho tido noticias, mas faltam as fotos para ajudar a matar saudades...ou melhor, faltam os cheiros, a luz. Falta-me atravessar o portão e tactear os canteiros à procura de cada planta.  Falta-me, porque é meu e é o único jardim que tenho. É difícil imaginar o quanto um pequeno pedaço de terra meridional se pode fazer transportar e ocupar a mente, o pensamento de um homem que vive longe. Um pedaço de terra, que nem sempre foi jardim, e que quase continua a não ser. Antes foi quintal, depois horta e hoje é um jardim suspenso: idealizado, inacabado, acima de tudo uma ideia, que veio a tomar forma e que tomou conta de tanto do que sou. E mesmo eu estando longe, nas terras do Norte, não deixa nunca de estar presente.

O Jardim Suspenso nuca foi tão suspenso como é hoje. As circunstancias ditam o afastamento do seu jardineiro, que se dedica agora a admirar as plantas dos outros. Plantas estranhas aos olhos portugueses, de uma terra alheia, como aquelas a que chamam "snowdrops", Galanthus nivalis para os entendidos, e que é aqui tão comum, quanto o é uma esteva nas serras de Portugal. Plantas estranhas, que relembram ao jardineiro todos os dias, que vive longe e que o jardim já não fica nas traseiras de casa, fica num outro país, à distancia de meses.  

Quando comecei este blog, estava longe de imaginar que um dia o seu nome faria tanto sentido como hoje. É difícil viver um jardim suspenso: os jardins precisam de cuidado diário, a distancia impõem-se e um jardim não vive de memorias. Talvez o nome mais adequado para este blogue fosse hoje "O Jardineiro Ausente", o nome parece assentar que nem uma luva a um jardim que se vai fazendo à distancia e em folhas de papel, desenhado e projectado mil vezes, mas nem por isso mais próximo. 

O jardineiro está longe mas, não só o jardineiro vive desterrado. Por aqui vive há muito mais tempo uma planta do Sul, a Narcissus cyclamineus. Na verdade é-me difícil imagina-la como uma planta do sul, porque toda a vida a considerei uma planta do Norte: é autóctone no Norte de Portugal onde tem duas populações principais , uma no rio Coura e outra no rio Teixeira. É uma planta do norte do Sul e onde vive hoje, acima do paralelo 50, são bastante apreciadas, mais até que no seu próprio país, onde não passam de ilustres desconhecidas. 

Mas, não é por estarem longe que os Narcissus cyclamineus deixam de anunciar o final do Inverno, tal como as Galanthus, também elas plantas emigrantes, oriundas da Europa Central. Estas duas plantas da mesma família estão entre as primeiras a florir, dedicando-se ao anuncio do início da estação vernal. Fazem-no, no entanto de forma diferente, em vez de se vestirem de branco como a neve, a N. cyclamineus veste-se de amarelo como o sol do país do Sul. Ambas tímidas ainda, apontam a sua corola ao chão, sinal de que em terras lusas pode chover tanto nos meses de invernia, quanto nas terras do Norte. 

E foi assim, por acaso, que neste país ilha, amante de tudo quanto é botânico, que se juntaram Galanthus nivalis e Narcisus cyclamineos, plantas de origens geográficas diferentes mas, muitas vezes aparecendo lado a lado nessa coisa muito britânica que são os rock gardens. Num dia de Fevereiro podem-se ver os dois brilhar, fazendo as alegrias dos jardineiros do país do Norte e também do jardineiro ausente, ambos sedentos de cor no final do Inverno. 

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

De Fevereiro...

 O jardim em Fevereiro 2016
Helleborus "pretty  Ellen"

 Helleborus x hybridus no Botânico da Ajuda 2016

Leucojum aestivum no meu jardim 2016
 Vista do jardim em Fevereiro de 2016


As fotos são todas do ano passado, mas ilustram bem o que pode ser Fevereiro num jardim em Portugal. Se a geada não foi forte, ou se se vive num sitio sem geadas, podemos já começar a apreciar as renovadas texturas vegetais à medida que as plantas iniciam o seu novo ciclo vegetativo. Se por outro lado, as geadas fizeram estragos. com ajuda das chuvas, daqui a poucas semanas podemos ter o jardim em força e totalmente renovado.

Nesta altura, os primeiros Narcissus, Crocus e Leucojum começam a florir. Dependendo dos anos, Fevereiro marca de certa forma o início da época dos bolbos de Primavera. Falemos, por exemplo, do Leucojum aestivum, um pequeno bolbo da mesma família do narciso, que é nativo da Europa Central ao Médio Oriente. Devem ser tratados basicamente como os Narcissus, qualquer solo com boa drenagem e relativamente rico serve para o cultivo destas plantas. São fáceis de manter e aumentam de numero rapidamente com o tempo. Os meus vieram do Algarve, oferecidos por uma amigo blogger e desde então já formam um maciço apreciável e com várias hastes florais, segundo os últimos relatos que me chegaram.  

Os Helleborus haviam já iniciado no mês anterior mas, é em Fevereiro que se encontram em plena Floração. Nas fotos estão dois belos exemplares de Helleborus, ilustrando bem o quanto podem fazer num jardim de Primavera. Alguns cultivares são mais floríferos do que outros, o das fotos, que está no jardim botânicos da Ajuda, é dos que conheço, aquele que apresenta as melhores florações. O período de floração é bastante longo e a planta mantêm um certo interesse durante pelo menos mais um mês, já que as sépalas são retidas pela haste floral mesmo depois da semente estar formada. Este facto reveste-se de uma certa importância na biologia do Helleborus, estudos indicam que a persistência das sépalas é importante  no desenvolvimento da semente. Os Helleborus que existem na Ajuda são particularmente prolíferos nesta matéria, produzindo muita semente fértil e pelo Outono é possível verificar a existência de centenas de pequenas plantulas na base da planta mãe. 
  
http://www.amjbot.org/content/92/9/1486