Rosas na Vila de Óbidos

Rosa banksiae

 Rosa 'Souvenir de Mme. Léonie Viennot'

 Sem ID

Sem ID
Rosa 'Cécile Brunner'


Rosa 'Belle Portugaise'

 Sem ID

 Sem ID

 Wisteria sinensis



Vegetação espontânea com Ferula cummunis em primeiro plano.


Visitar Óbidos é sempre especial, vivência-se como uma espécie de Portugal dos pequenitos para adultos. Estamos tão pouco habituados ao espaço urbano preservado, que em sítios como este sentimo-nos bem acolhidos e mais próximos do que há de bom na nossa cultura. 

Início de Maio, depois de boas chuvadas e com os dias já de pleno sol, mas ainda frescos e a vila desce gloriosa pela encosta, rodeada por pomares e verdes campos. A paisagem pouco molestada pelos erros urbanísticos de tantos outros sítios. Respirar e ver é bom este lugar e lá em cima o castelo - a torre de menagem onde se vai ver a vista, mas o que me chama mais à atenção é a pequena mata para la das muralhas, onde a vegetação autóctones faz as delicias dos mais atentos. E depois, já dentro da vila, reparo nas roseiras que aqui e ali alegram pátios e muradas: são rosas algo comuns, nada de extraordinário, mas a combinação com o património arquitectónico da vila torna-as especiais e um exemplo de como reavivar a memoria das roseiras e trazê-las de novo para os nossos jardins tristes.

 Maio 2019


Comentários

  1. with a small companion tucked observantly in the forest.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hi Diana, I think it's the european roe deer, we call it "corço".

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares