segunda-feira, 28 de maio de 2012

Verbascum.

Verbascum thapsus
Há já algum tempo que queria fazer um post sobre esta magnifica planta, até já a fotografei no início do ano no jardim botânico da Ajuda, fiquei sempre com a ideia de lá voltar para fazer umas fotos em plena floração, infelizmente as chuvas dos ultimos dias fizeram estragos e quando voltei já não restava flor nenhuma, só as cápsulas de semente. O Verbascum thapsus é uma especie endémica da Europa e Ásia, tendo sido introduzida na America do Norte e Oceania. É uma planta herbácea bienal, que pode alcançar 2 m de altura, apresenta um porte erecto, com caule ramificado apenas na zona terminal e de aspecto algo lanoso.
As folhas são ovais lanceoladas, alternadas e cobertas por penugem branca, por vezes dando um aspecto prateado à planta. No primeiro ano forma-se uma roseta basal, que só na Primavera seguinte inicia o desenvolvimento do caule floral, que termina numa inflorescência, constituída por numerosas flores de cor amarela clara.
Existem 11 espécies de Verbascum em Portugal, espalhadas de norte a sul do território nacional, incluindo alguns endemismos como o Verbascum gigateum.

O Verbascum aparentemente é uma planta com propriedades medicinais, como expectorante, calmante, e sedativo,  proveniente sobretudo de propriedades da folha mas também das flores que são usadas para tratar, por exemplo, a tosse e  rouquidão. As flores são também usadas em aromaterapia, o mel com aroma das flores de Verbascum é muito apreciado, assim como em licores.

Verbascum thapsus, roseta basal em Fevereiro.








Verbascum bombyciferum em Hyde Hall gardens, Essex, Inglaterra










Verbascum bombyciferum foi outra espécie que descobri  pouco tempo e que possui um valor ornamental fantástico. Tendo três ou quatro plantas destas num canteiro ensolarado, cria a longo prazo presença. Acompanhado por exemplo de lavandulas, Artemisias e Anthemis ou Phlomis herbáceas. As flores amarelas, assim como a  folhagem prateada fazem um contraste  fantástico para os azuis mais escuros, roxos e magenta. Podendo também tentar com Papoula-da-Califórnia, Cynara e Santolina, como na foto acima em Hyde Hall Gardens.

Todas as espécies de Verbascum são uma excelente escolha para um estilo tipo casa de campo (cottage garden) ou jardim seco. Quase todas as variedade são muito tolerante à seca e adequadas para o plantio em zonas costeiras, por exemplo. É também muito resistente à geada. 
O Verbascum atrai uma grande variedade de polinizadores, incluindo as abelhas e borboletas. As crianças e adultos são atraídos pelas imensas folhas de feltro e mais tarde, pelos enormes candelabros de flores.

Há muito tempo que queria ter uma planta destas, e não é que nasceu uma espontanea no meu quintal?! Como mostra a foto ao lado tirada ha pouco tempo (peço desculpa pela fraca qualidade da imagem), encontra-se agora em plena floração, só não sei de que espécie de trata. A roseta basal tinha folhas muito frisadas, tou a apontar para um Verbascum sinuatum. 
 Pode ser de curta duração, mas esta planta encantadora é fácil de cultivar, muito gratificante e vale a pena pelo efeito que produz.

http://www.saga.co.uk/lifestyle/gardening/plant-portrait/verbascum-bombyciferum.aspx
Credito fotográfico :http://www.flickr.com/photos/dreizeh/6836358311/
http://www.flora-on.pt/#/6verbascum
Credito fotográfico: http://www.flickr.com/photos/c22shooter/3592807492/in/faves-50831597@N04/

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Madeira: Jardim Tropical Monte Palace.





O Jardim Tropical Monte Palace localiza-se no cimo de uma  colina com vista sobre a baía do Funchal. O Monte Palace foi outrora um local de importância histórica, pois foi no século XVIII um luxuoso hotel que albergou muitos hóspedes importantes. Hoje, a Fundação Berardo transformou esta  propriedade num museu e jardim, com óbvia inspiração oriental. Aqui podemos encontrar plantas e flores exóticas de muitos continentes e também animais como patos, cisnes brancos e negros, pavões e carpas Koi. Entre as plantas a destacar, temos as Cycas de porte considerável, mas tambem os fetos arbóreos como Cyathea australis, nativa do sul da Austrália e ilha de Norfolk. 
Todas as fotos foram tiradas pela minha amiga Carla Antunes, que visitou a Madeira, ilha que infelizmente ainda não conheço.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Euphorbiaceae.

Euphorbia characias no jardim botânico.

Existem algumas plantas que eu nunca percebo porque é que não são minimamente populares em Portugal, entre elas estão certamente as eufórbias. Existem 29 espécies de eufórbias nativas no nosso país e algumas delas são muito populares em jardins no Norte da Europa, a Euphorbia characias na foto, é uma delas.  A popularidade desta planta levou à produção de numerosos cultivares. Podem, por exemplo  ver aqui este híbrido interessante de nome "Portuguese Velvet".

Não digo que se vá fazer um jardim só de eufórbias, mas certamente são muito bem vindas entre outras plantas complementando o jardim, por exemplo, em combinações interessantes com Acanthus mollis e Aliums, mas também com muitas outras plantas de floração amarela. É uma planta que trás uma interessante textura, são mesmo essenciais num jardim de gravilha, ou entre canteiros de cores quentes. Mas há quem se tenha atrevido a fazer um jardim praticamente só com eufórbias, podem ver aqui

Eu já plantei uma no meu jardim, chegou a vez de mais pessoas tentarem o mesmo, as Eufórbias merecem uma chance! Outras plantas da mesma família incluem o rícino e a estrela-do-natal, muitas têm uma seiva irritante para a pele.



http://www.euphorbias.co.uk/index.html
http://flora-on.pt/#/6euphorbia
http://www.guardian.co.uk/lifeandstyle/2011/jan/22/gardens-euphorbia

sábado, 12 de maio de 2012

Um jardim em Castelo de Bode.



Já alguém vos deu a desculpa de viver numa área difícil, onde não é possível ter um jardim? Pois o jardim que aqui apresento prova exactamente o contrario,  fica perto da barragem de Castelo de Bode e pertence à Natália, que entrou em contacto com este blog no meu anterior post sobre plantas que procuro. Entretanto, para além das plantas, acabamos por trocar algumas ideias sobre jardinagem e eu pedi para que a Natália partilhasse connosco algumas fotos do seu jardim. Parece ser um jardim com uma incrível variedade de plantas e com combinações de espécies muito interessantes, as fotos falam por si.

                                                                                                                                                                                      Echium virescens

Verbena bonariensis e  Penstemon sp.

Sideritis oroteneriffae  e Papoila-da-Califórnia


















A Natália tem o seu jardim numa zona de extremos climáticos, segundo o que ela própria me escreveu: "O clima aqui não é muito ameno, até porque estou mais ou menos um quilómetro a sudeste da barragem, beneficiando alguma coisa da barragem mas não tanto como os que têm a casa à beira da água. Mas os echiums sobrevivem melhor ou pior consoante os anos. Nos últimos anos tem havido mais extremos de temperaturas baixas (penso que há dois anos chegou a -5º). Por isso os echiums, por exemplo, devem estar em locais menos expostos ao frio. Mas no meu sítio os extremos de calor têm sido mais problemáticos para alguns echiums". Os echiums oriundos da Madeira e Canárias são espécies pouco tolerantes ao gelo, mas de uma beleza enorme, valendo a pena tentar, mesmo para quem vive no interior.


O Solo do jardim também está longe de ser o ideal, a Natália descreve-o assim: "o meu solo é pobre mas vai sendo melhorado com matéria orgânica, e em alguns locais, entre eles os das fotos. E também fui trazendo terra de fora (nem toda boa, alguma de zonas calcárias). O jardim está um pouco heterogéneo, com zonas muito secas e outras nem tanto. Algumas zonas praticamente não rego, são arbustos resistentes e com solo não muito seco em profundidade. Os mais exigentes em água são geralmente os maciços dominados por herbáceas vivazes. E vou esperando que algumas árvores cresçam para me criarem zonas mais abrigadas do sol, para plantas como as aquilegias, etc."

Phlomis fruticosa

Cistus x skanbergii

























 EchiumOmphalodes linifolia

























Quando o que temos é um solo pobre e se vive numa zona com temperaturas extremas, é impossível ter um jardim interessante? Não, de forma alguma, sobretudo quando se tem uma óbvia  paixão por plantas e por jardinagem...pelo menos é o que este jardim prova. Tentar alterar o que temos de base não é fácil, mas o solo pode ser melhorado e se tivermos atenção,  a planta certa para o local certo, pode muitas vezes evitar dissabores e com certeza muitos euros em rega podem ser poupados.

sábado, 5 de maio de 2012

Jardineiros Famosos: Jacques Wirtz.

Sebe de buxo no jardim da sua casa, em Antuérpia.

























Jacques Wirtz (n.1924) é um jardineiro belga nascido em Schoten, um subúrbio de Antuérpia. Estudou arquitectura paisagista na escola de horticultura em Vilvoorde. Mais tarde foi forçado a trabalhar numa creche na Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial. 
Em 1950, começou o seu próprio negócio, como designer de jardins e arquitecto paisagista, sendo que actualmente a sua firma é o maior atelier de projecto paisagístico na Bélgica.

Wirtz é particularmente conhecido pelo uso de sebes perenes cortadas de modo a criar o efeito ondulante de "nuvens", desenvolvendo uma arquitectura verde que dura todo o ano, juntamente com uma paleta reciclável de plantio herbáceo. 

Ele veio a ter maior reconhecimento público depois de ter sido contratado para projectar o jardim para o pavilhão belga da Expo'70 em Osaka. Mas, a sua maior comissão pública foi talvez o redesenhar do Jardin du Carrousel, em Paris, um projecto de longa duração que se iniciou em 1990 e foi concluído apenas em 2004. Wirtz tem projectos de jardins um pouco por toda a Europa.

Jacques Wirtz recebeu a Medalha de Ouro da Academia Real Flamenga da Bélgica para Ciências e Artes em 2006



Credito fotográfico: http://www.niwaki.com/blog/2009/10/24/jacques-wirtz-garden/
http://en.wikipedia.org/wiki/Jacques_Wirtz
http://www.nytimes.com/2004/05/16/magazine/the-constant-gardener.html

terça-feira, 1 de maio de 2012

Plantas que procuro.

Angelica gigas/ Penisetum / phlomis russeliana / Helichrysum / Centrathus / Echinops ritro / Sedum / Cosmos atrosanguineos
















Todos sabemos que por vezes é realmente difícil encontrar algumas plantas em Portugal, em geral os centros de jardinagem são muito convencionais e oferecem um leque de plantas muito restrito, especialmente aqui em Lisboa. Fiz uma lista de plantas que desejo vir a ter, se alguém souber onde as posso encontrar, ou se por acaso pudermos trocar algumas sementes seria muito fixe! Segue então a lista de plantas que procuro:

Anemona japonica (Hibrida)
Centaura (azul)
Cistus ladanifer
Digitalis ferruginea
Echinops ritro
Eremurus                   
Erygium alpium
Geranium psilostemon
Helichrysum italicum
Knautia macedonica
Nepeta “six hills giant”
Pennisetum setaceum
Persicaria
Phlomis fruticosa
Phlox
Sedum (vermelho ou rosa)
Sedum telephium
Solidago
Verbascum (qualquer)
Veronicastrum verginicum