terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Final de Ano no Jardim

Achillea, Pennisetum, Echinops, Cynara, Stachys
Carex, Festuca, Salvia, Aquilegia
Verbascum, Hemerocallis, Verbena
Helleborus x ballardiae

Mais um Ano no Jardim que chega ao fim. Foi um ano bastante atípico em termos de florações, com um Verão extremamente quente e um Outono e Primavera com valores de temperatura bastante superiores ao normal. Muita coisa floriu fora de época e tantas outras tiveram florações curtas devido ao calor e secura, a floração de Verão foi particularmente afectada. Mas, as chuvadas abundantes no Outono trouxeram grande alivio ao jardim, acompanhado de muitas flores e de um bom crescimento vegetativo. 

Em 2015, introduzi varias plantas novas no Jardim, outras confirmaram a boa performance de anos anteriores, como foi o caso da Echinops ritro, que neste momento é mesmo uma das minhas vivazes preferidas. Novos canteiros, novos espaços...o jardim vai crescendo para fora dos limites que no início demarquei, sinal de que toda esta aventura de começar um jardim tomou uma dimensão que não foi antecipada por mim.  

O jardim continua precário, com uma plantação algo austera e restrita ao baixo orçamento disponível mas,  por outro lado, toda esta experiência vem mostrar que quando se quer realmente um jardim, não precisamos de muito para o por em prática: basta olhar à volta e ver o que se tem em mãos. Trazer para o jardim coisas da flora local, dividir o que se tem de início, dividir as poucas plantas que se compram ...e claro, ter a sorte de ter amigos que partilham plantas connosco. Posso dizer que grande parte do meu jardim teve origem nesses mesmos amigos, em especial queria agradecer à Natália, ao Carlos e à Alexandra. 

2016 apresenta-se cheio de desafios para este meu pequeno jardim. Nos seus meros cinco anos de existência deixou de ser apenas "jardim suspenso" e reclamou para si uma existência física. Tomou forma e fez-se paisagem, surpreendeu tantas vez o jardineiro e muitas outras o desiludiu. O próximo ano será de mudança, as circunstancias assim o ditam e os jardins acompanham sempre a vida do jardineiro, o meu não será excepção. 

Bom Ano de 2016, Happy New Year!

Dezembro de 2015

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Parque em Odivelas

 Persicaria maculosa



À entrada de Odivelas fica este belo parque construído junto à  Ribeira de Caneças. Aproveitando as margens do rio e a vegetação autóctone existentes, conseguiu-se um espaço publico bastante aprazível, sobretudo no Verão. Esta zona húmida é abrigo para muitas aves aquáticas, destacando-se o pato-real em números bastante consideráveis. A plantação é simples mas efectiva, recorrendo-se sobretudo às árvores da flora local, como Populus ou Crataegus monogyna. Destaque para Persicaria maculosa (syn. Polygonum persicaria), planta pertencente à família Polygonaceae, bastante interessante e com potencial ornamental.  

http://www.flora-on.pt/#/1polygonum+persicaria

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Ainda o Outono...

Ginkgo Biloba
Gingko biloba - Telheiras
Ginkgo biloba
Acer palmatum
Acer palmatum - Telheiras
Hortas de Benfica
Benfica
Dezembro por fim. Os dias surgiram muito amenos, diria até que quentes, na continuação do que aconteceu no mês de Novembro, que foi um dos mais quentes de sempre. Fica alguma cor das magnificas Ginkgo biloba, que existem um pouco por toda a cidade, e dos Acer palmatum que nos dão os mais intensos vermelhos nesta época. 

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Novembro na Gulbenkian



Populus nigra 
Vista do edifício sede
Rosa sp. e Murta
Rosa sp.
Celtis australis no jardim dos espelhos de água
Pormenor quadro "jarro de flores" de Jan Davidsz da Colecção Wentwort-Fitzwilliam

Inaugurou este sábado na Fundação Calustre Gulbenkian a exposição temporária com quadros da colecção Wentworth-Fitzwilliam, que inclui obras de Van Dyck,Joshua Reynolds e George Stubbs, entre outros.

Esta exposição foi só mais um pretexto para voltar à Gulbenkian, que como já disse aqui, é o meu jardim preferido em Lisboa. Sempre que regresso ao jardim da fundação, há algo novo para descobrir, este Outono não é excepção. Prova mais uma vez que a obra prima de Gonçalo Ribeiro Telles é um jardim para todas as estações.

http://www.gulbenkian.pt/inst/pt/Agenda/Exposicoes/Exposicao?a=5341

sábado, 28 de novembro de 2015

Novembro no meu jardim

Citrus reticulata, Euphorbia, Artemisia 
Gaura, Verbascus bombyciferum 
Carex, Festuca glauca, Ruta, Stachys lanata 
Iris unguicularis
Euphorbia characias, Echinops sphaerocephalus, Cotinus, Miscanthus. 
Vista do Jardim
Um Novembro anormalmente quente e quase sem geadas, significa que temos uma espécie de Primavera tardia, com muitas das plantas a investir em crescimento vegetativo, quando em outros anos estariam claramente a entrar em dormência.  Flores em Novembro para algumas das espécies que tenho, são uma novidade. Aquecimento global? Para mim sim, na ultima década os Invernos têm sido cada vez  mais curtos e amenos, por isso, acho bastante credível a tese de que a temperatura média esteja a aumentar em Portugal. Veremos o que Dezembro trás...  

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

O Jardim Botânico em Novembro.

Platanus

Platanus 
Platanus 
Celtis australis
Betula
Anemone hupehensis
 Cynara humilis 
Nymphaea  
Dahlia excelsa 
Ligularia tussilaginea

Cycas
Taxodium 


Araucaria bidwilii 
Ficus macrophylla 
Magnolia grandiflora

Algumas imagens do Jardim Botânico da Universidade de Lisboa, que nesta altura do ano ainda tem algum interesse, sobretudo devido à mudança de cor de algumas das suas árvores monumentais.  Destaque para a magnifica Dahlia excelsa, a Ligularia,  e também a Anemone hupehensis que continua em floração. Lindíssimo o Taxodium que se vai vestindo com as suas cores outonais. 

domingo, 8 de novembro de 2015

Do Outono em Lisboa

Telheiras - Pennisetum alopecuroides
Telheiras
Alto dos Moinhos,  Liquidambar

Carnide, plátano
Praça de Espanha
Campo Grande

Rosa rugosa
Tílias no Jardim do Museu da Cidade
Museu da Cidade

O Outono em cada folha que cai, em cada árvore que se transforma. Aprecio muito esta estação do ano, e é com a Primavera a minha preferida, difícil escolher entre as duas. Gosto especialmente da passagem suave desta estação em Portugal. 

Aqui ficam algumas imagens do Outono em Lisboa.