A época das rosas

Rosa 'Mon Jardim et Ma Maison' (França, 1998)

Há uns anos eu não gostava de rosas, mas graças ao Carlos, ao João e à Alexandra (eles sabem quem são), o meu interesse por rosas começou a despertar e avançou nos últimos tempos de forma galopante. Tornou-se mesmo numa obsessão,  sobretudo nos meses de Inverno, quando as rosas ainda vêm longe e os catálogos internacionais aguçam a vontade de ter no jardim toda e qualquer nova variedade. A razão pela qual eu não tinha um interesse nas roseiras prende-se pelo facto de que, desde que me lembro, sempre tivemos roseiras no quintal, tal como em qualquer casa portuguesa, mas as rosas que tínhamos (algumas ainda temos) eram variedades de cor e forma algo desinteressantes, das mais vulgares híbridas de chá, que em nada fazem justiça àquela que é considerada a "Rainha das Flores".

Mas, então estes meus dois amigos foram me mostrando rosas diferentes: eram as rosas antigas, as gálicas, as rosas de Damasco, as albas mas, também as centifolias e musgosas, uma panóplia de formas e cor que desconhecia totalmente. São rosas de variedades muito antigas, existem desde há séculos, mas que são praticamente desconhecidas em Portugal, facto que nos obriga a ficar limitados a rosas de gosto bastante duvidoso, como tantas das híbridas de chá, ou muitas das floribundas. O Mundo das rosas antigas, ou das variedades que embora modernas, tentam recriar a floração das antigas, foi então uma enorme descoberta para mim e nos últimos dois anos plantei algumas que apresento neste post.

A minha primeira época de Rosas 

Rosas deste ano, com 'Pilgrim' ao centro

1- Iceberg, 2- Alberic Barbier; 3- Lady Hillingdon;4- Pierre Ronsard; 5- Pilgrim; 6- Veilchenblau; 7- (Desconhecida); 8- Mon Jardin et ma Maison; 9- Rosarium Uetersen; 10- Rosa de Rescht; 11- Pierre Ronsard; 12- Rosarium Uetersen; 13- New Dawn; 14- Alberic Barbier; 15- Phyllis Bide; 16- Charles de Mills; 17- Charles de Mils; e 18- Open Arms.

Rosa 'Lady Hillingdon' (Reino Unido, 1917)

Rosa 'Mon Jardin et Ma Maison' , com Artemisia e Scabiosa

Rosa 'Phyllis Bide' (Reino Unido, 1923)

Rosa 'New Dawn' (Estados Unidos, 1930)

Rosa 'Mon Jardin et ma Maison'

Rosa 'Rosarium Uetersen' (Alemanha, 1977)

Aquilegia e Rosa 'Charles de Mills' 

Rosa 'Charles de Mills' (Holanda, 1786)
               
'Rosa de Rescht' 

Um dos grandes desafios de ter roseiras no jardim é saber combinar com as plantas vivazes. Nem sempre é fácil mas, por outro lado, existem vários exemplos de excelentes jardins de rosas em Inglaterra, bastante inspiradores e com combinações magnificas com um sem numero de vivazes. Muitas vezes para começar o melhor mesmo é copiar e foi isso mesmo que fiz: é clássica e tantas vezes repetida a mistura de rosas com dedaleira, nunca falha. Outra aposta que quase sempre resulta é a combinação com gerânios rústicos, como o Geranium 'Rozanne' ou o 'Nimbus'. Mas, existem realmente tantas vivazes que resultam com rosas que será bastante limitante cingirmo-nos a estes dois géneros, o melhor mesmo é experimentar e ver o que resulta. Muitos dos Penstemon e as Centranthus ruber são outros bons exemplos para o nosso clima.


Rosa 'Charles de Mills', Aquilegia, Geranium albanum e Digitalis purpurea

Canteiro da 'Charles de Mills´' em Maio de 2017

A época das rosas em Portugal está no seu auge em Maio e não será difícil arranjar muitas outras plantas com as quais as combinar. É uma questão de gosto pessoal, ou então de limitações de solo e clima mas, Maio está cheio de boas vivazes e há sempre uma que resulta. Talvez a época de floração Outonal seja mais difícil no meu caso. Arranjar vivazes interessantes para os meses que se seguem ao Verão exige mais cuidado na pesquisa, mas também é possível. 

Quanto à escolha da melhor roseira para o jardim, é mais uma vez um mundo infindável de oportunidades: existem mais de 150 espécies de rosas e milhares de variedades actualmente em comercialização, sendo que a cada ano surgem dezenas de novas roseiras, por isso é fácil de ver que o problema é mesmo a escolha das melhores, segundo o gosto pessoal e as condições físicas do jardim. A febre da escolha das novas variedades conhece agora para mim um período de acalmia mas, estará no pico quando os viveirístas abrirem as vendas de roseiras em raiz nua, isto lá para Novembro, até lá ficam as imagens da minha primeira época das rosas. 


Comentários

Mensagens populares