E já Fevereiro vai no fim!

Helleborus x hybridus 'Spring Promise Conny' 

Chega Fevereiro abrindo alas para a Primavera, mas primeiro o palco ainda é do Inverno, que tem direito trazer-nos o seu último acto antes da índole primaveril se instalar por completo. O jardineiro descuidado poderia iludir-se com os dias de sol e as lânguidas tardes sem historia, que a mais das vezes são a regra em Fevereiro, mas logo a sua natureza de mês invernoso se mostra e quase sempre com a dureza de nenhum outro mês. Os últimos frios, os últimos vendavais e as derradeiras noites de geada fazem perdurar o Inverno e por vezes a Primavera parece definitivamente adiada no jardim. 

                                                                             
O Jardim de Primavera: Lamium, Helleborus, Cyclamen coum, Primula veris, Galanthus, Viola e Heuchera

 Cyclamen coum album / Cyclamen coum / Crocus sp.

Helleborus x hybridus 'Double Ellen Whilte' e Helleborus niger ao fundo

Helleborus x hybridus 'Queen of the Night' e Primula vulgaris

Helleborus niger
                     
Primula veris, Crocus tommasinianus, Helleborus 'Yellow Speckled'

Hellebrus x hybridus 'Harvington Shades of Night'

Narcissus 'Fortune' e folhagens de outras vivazes 

Euchera, Helleborus 'SP Conny', Primua vulgaris, P. veris, Viola odorata, Lamium 'Beacon Silver'

Narcissus 'Carlton'

Narcissus 'Tête- à-Tête' / Crocus tommasinianus /Crocus chrysanthus 'Romance'

Narcissus x tazetta

Leucojum aestivum e Festuca glauca em primeiro plano

Helleborus x hybridus 'Pretty Ellen'

Helleborus x hybridus 'Spring Promise Conny'

Helleborus, Primula, Viola, Polystichum

Helleborus foetidus 

Helleborus 'Double Ellen White', Lamium 'Beacon Silver', Polystichum setiferum

Cyclamen coum, Primula veris, Galanthus nivalis, Ranunculus ficaria

Primeira flor de Galanthus Nivalis a abrir no jardim  / Galanthus nivalis Cyclamen coum

Crocus tommasinianus e Primula veris 
                                                                         
Helleborus' walk

 Narcissus x tazetta 

Helleborus x hybridus 'Pretty Ellen'

Primula vulgaris e Helleborus x hybridus

Helleborus 'SP Conny', Primula, Heuchera, Viola, Narcissus

Fevereiro 2018


Mas Fevereiro é o fim da antecipação, mostra-se já a primeira face da Primavera: mesmo sendo o mês mais pequeno, esperam-se sempre muitas florações em Fevereiro, que é um dos meses com mais flor no meu jardim: flores de Helleborus, Narcissus, Leucojum ou Primula, estão entre as plantas que mais contribuem para festejar Fevereiro. No entanto, época dos Helebórus vai já a meio. A bela Helleborus que é a estrela no jardim de Inverno e flore com tal profusão que às tantas já não sabemos se ainda se vive o Inverno ou se é já a Primavera que nos anima. Conhecida como "rosa da quaresma", nome dado às variedades de Helleborus x hybridus nos países do Norte, é para quem não tem roseiras, de facto, o que mais de aproxima em forma ou cor durante esta altura do ano. Mas, as Helleborus não são de todo roseiras, a sua filogenia aproxima-a antes dos ranúnculos de florista, por exemplo. 

Desde a mais comum das variedades, até aos híbridos mais recentes feitos por casas especializadas neste género, todas, sem excepção, possuem algo especial. Tenho duas de que gosto vivamente: a 'Sahdes of Night' produzida pelos viveiros Harvington no Reino Unido e a 'Spring Promise Conny', híbrido com patente na Alemanha com grandes qualidades.  A natureza da Helleborus é de facto primordial e invernosa e mesmo as variedades mais recentes retém a condição telúrica das suas flores, muitas vezes vergadas e fitando o chão; com cores que evocam a terra de onde irrompem as hastes num despertar brando e lento, mas cheio da sedução. Quem durante o Inverno se abeirar de uma Helleborus esperando dela ver as flores, terá que se prostrar perante a planta ou levantar para si o cálice da flor para que esta se dê a conhecer por inteiro. Tudo nesta planta grita resiliência e rusticidade e não é de estranhar que seja tão dependente de um bom solo profundo e rico, pois dele dependerá o seu rizoma extenso com a qual a planta mergulhará nas entranhas do jardim, para dele beber o seu melhor. 

Com o sentido de fazer brilhar esta planta de hábito pouco comum, criei neste ultimo Outono no jardim, a tal "helleborus' walk". Agrupei aqui algumas variedades que fui juntando no ultimo ano e tenciono juntar a estas várias outras no futuro, tendo em vista que esta parte do jardim venha ser um passeio por entre atraentes formas deste género. As Helleborus levam bastante tempo a formar um clump com tamanho considerável e quanto mais idade, mais vistosas ficam, sobretudo quando se combinam  variedades de cor e forma diferente entre si, exaltado o melhor de cada uma delas.

Mas Primavera não o é, até os primeiros narcisos romperem a terra para mostrar a sua cor amarela ao mundo. Sabe bem encontra-los de novo em flor nas manhãs frias de Fevereiro e maior símbolo vernal encontramo-lo apenas nas andorinhas, também elas regressadas ao jardim por estas alturas.  A grande maioria das espécies de narciso do mundo têm uma origem ibérica, mas por razões que desconheço, esta flor habita mais os jardins do Norte do que os da sua própria terra. Posso garantir que poucas flores fazem mais sentido nos jardins portugueses do que o belo narciso, e no entanto, pouco se vê por cá. Nada exigentes, prosperam no mais pobre dos solos e durante duas semanas são a Primavera materializada. Depois desaparecem, esquecemo-nos deles e reaparecem exactamente um ano depois, quando mais falta fazem. Uma planta verdadeiramente especial, não há como errar com eles e com as milhares de variedades existentes o difícil será mesmo escolher as que mais se adequam à paleta do jardim ou às condições nele existentes. Eu tenho desde a comum 'Dutch Master'; amarelo puro de grade dimensões e o exemplo máximo do narciso criado na Holanda; até ao narciso 'Tête-à-tête, o oposto: pequeno e singular, tem "sangue" português por ser um híbrido do N. cyclamineus, tendo herdado deste alguma graciosidade e o diminuto tamanho, mas é bastante mais vigoroso e adaptável do que aquele. Outra das variedades de Fevereiro, são os narcisos do grupo Tazetta, sempre entre os primeiros a reaparecer e muitas vezes acompanham com perfume a sua bela existência primaveril. 

Noutras paragens, a latitudes maiores, a Primavera também se festeja com a chegada de outras Amaryllidaceae, como as Leucojum e Galanthus. Bolbos de Primavera por excelência, que por serem de cor branca, ganharam nomes comuns que evocam as neves de Fevereiro. Era o meu sonho desde há muito juntar estes dois géneros no meu jardim, e se o Leucojum é relativamente fácil de cultivar, por ser pouco exigente, já com a Galanthus, as famosas snowdrops, a historia é diferente. É um bolbo algo exigente em climas meridionais, pois não gosta de secar totalmente quando o Verão exerce o seu jugo. No entanto, o meus vieram de Inglaterra em Maio do ultimo ano, passaram o Estio no chão e aqui estão eles em flor e saudáveis oito meses depois. Plantei-os na sombra, em solo rico, recebem também algumas regas e isso com certeza fará a diferença para esta espécie. Já as minhas Leucojum vieram do Algarve! Desde há alguns anos que brilham no meu jardim, e é com satisfação que noto que têm aumentado em numero a cada Primavera.  Naturalizam bem em solos argilosos, onde se sentem bastante à vontade para crescer na altura em que este tipo de terreno encharca, no entanto, apreciam e recompensam alguma drenagem melhorada, desde que acompanhada de boa humidade no solo. Se querem ver a Leucojum no seu habitat natural nem sequer precisam de ir muito longe, pois as Leucojum aestivum têm distribuição no Norte de Espanha, sobretudo nas províncias dos Pirenéus. É por isso bom de ver, que a vida nesta parte mais ocidental da península,  nem sequer é algo assim tão estranho para este bolbo. Contudo, tal como para qualquer bolbosa o importante é não as tratar com leviandade, nunca fugir do foco essencial que é o bolbo certo, acompanhado das condições certas de cultivo.

Fevereiro, que mal começou e já se despede, dará lugar dentro de dias ao grande Março. O novo capitulo do jardim começa, já sob total desígnio primaveril.    
   

http://www.telegraph.co.uk/gardening/10648349/A-hellebore-for-almost-any-situation.html

Comentários

Mensagens populares