Como Cultivar Helleborus em Portugal.


Primeiro que tudo é preciso referir que Helleborus é um género que ocorre espontâneamente em Portugal, como já foi descrito varias vezes por exemplo, no As Minhas Plantas, por isso o seu cultivo não deveria em principio apresentar problemas de maior. Embora eu próprio nunca o tenha cultivado, desde que estou na Alemanha desenvolvi um grande interesse por esta planta, e fiz uma pequena pesquisa sobre o assunto. Antes de conhecer os jardins Botânico de Colónia conhecia apenas um familiar que teve esta planta, e até então nunca me tinha suscitado grande interesse. Mas, realmente o Heleborus é uma planta que vale a pena tentar pelo seu grande valor ornamental e aparentemente é também muito fácil de cuidar, se se tiver em atenção algumas questões simples:
  1.  Solo: cresce em grande variedade de solos, mas em geral alcalino, com boa drenagem e um solo rico em matéria orgânica é fundamental. Precisa de solo profundo, sobretudo em vasos, devido ao seu extenso sistema radicular.
  2. Sombra: é vendida muitas vezes como planta de sombra e na verdade vivem bastante confortáveis debaixo de árvores, por exemplo, mas em condições de sombra total não irão florir muito bem e podem mesmo parar de se desenvolver. Parecem crescer bem ao sol nos países do norte da Europa mas, optaria por uma meia-sombra em Portugal.
  3. Rega: são plantas resistentes à seca, pelo menos durante períodos pequenos. Mas, uma certa humidade deve ser proporcionada, sem que seja em excesso, evitando assim o solo empapado de água que levara à morte da planta.
  4. Clima: dá-se bem nas zonas de rusticidade 4a a 9b e prefere clima continental. Não se dá bem com ar marítimo húmido e quente, e necessita de estações bem definidas para que complete o seu ciclo vegetativo. Ou seja, a região de Lisboa, toda a costa alentejana e Algarve podem não conseguir os melhores resultados.
  5. Propagação por semente: é necessário mimetizar as condições que a semente encontra na natureza. A semente depois de se formar, encontra temperaturas amenas, seguidas de um Verão quente, para depois voltar a valores mais frescos e finalmente um Inverno frio. Ou seja, é necessário fazer a estratificação da semente (calor/frio) para que ela germine. Quando isso acontece, invariavelmente a semente germina e os cotilédones começam a surgir no final do Inverno. Embora muitas vezes seja necessário entre 6 a 18 meses para uma semente madura germinar. A alternativa é encontrar sementes frescas, recém formadas a partir da planta mãe, já que a semente madura forma inibidores de germinação que só são revertidos com o tempo frio. Assim, sementes frescas e imaturas parecem germinar sem necessitar do período de frio, desde que semeadas em plena luz e em solo húmido tapado com casca de pinheiro ou folhas para que mantenha a humidade.
  6. Propagação vegetativa: divida o sistema radicular das variedades acaulescentes no Outono ou depois da floração na Primavera. Convém esperar até a planta estar bem desenvolvida, na sua fase de maturação, nunca antes de 4 anos. Também desta forma mantêm-se as características de um determinado espécime que se pretende preservar,  já que a propagação por semente tende a produzir espécimes muito diversificados e geralmente com menor valor ornamental.
  7. Poda: é necessário retirar toda a folhagem dos espécimes acaulescentes assim que as primeiras flores comecem a rebentar, deixando só os pedúnculos com flor. Desta forma terá muito mais flores e novas folhas  mais vigorosas, melhorando o aspecto geral da planta. 
Os Heleborus vão trazer grande interesse às áreas de sombra do seu jardim, e uma vez introduzidos vão naturalizar facilmente, como se pode ver Aqui no jardim deste senhor inglês que vive na zona de Penacova e cultiva dezenas de variedades de Heleborus que trouxe de Inglaterra,  e com grande sucesso. Arthur escreve que todos as Primaveras centenas de novas plantulas de Helleborus povoam os seus canteiros.

Heleborus argutifolius no jardim botânico de Colónia.

Comentários

  1. Tenho 2 vasos com Helleborus há dois anos e só lhes vi as flores quando os comprei.
    Não conheço ninguém que os cultive com sucesso em Portugal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Zé, agora já existem muitas pessoas a os ter com sucesso. Inclusive alguns britânicos a viver em Portugal. Em geral os híbridos são mais fáceis, mantenha-os a sombra ou meia-sombra e com o solo fresco, sem ser ensopado. aguentam alguma seca mas por curtos espaços de tempo, é melhor manter fresco.

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares