quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Inverno em Kew

Helleborus tibatanus
Silla maderensis, Narcissus cantabricus / Narcissus romiuxii / Narcissus cantabricus
Casa das alpinas e o Jardim Rochoso / Galanthus plicatus "Three Ships"
Galanthus elwesii var. monostictus
Galanthus no jardim rochoso
Chimonathus praecox / Edgeworthia chrysantha

No fim de semana passado fui de novo até Kew Gardens e não pode deixar de reparar o quanto as coisas estão atrasadas em relação ao ano passado. Há exactamente um ano atrás (aqui), eu vim pela primeira vez a Inglaterra e a visita a Kew foi um dos pontos altos da viagem, mas nessa altura encontrei um jardim muito mais avançado nas florações de Inverno. Este ano as coisas parecem estar a decorrer a um ritmo normal para a época e como seria de esperar poucas plantas estavam em for. O gelo das ultimas semanas tem sido muito e, ao contrario do ano anterior, encontrei o próprio lago em frente à Casa das Palmeiras completamente congelado.

Na zona do jardim rochoso, tínhamos desta vez praticamente só Galanthus em floração, as famosas "swnowdops", ou "gota-de-neve". São plantas da família Amaryllidaceae que se encontram espalhadas um pouco por toda a Europa Central e Balcãs, tendo-se naturalizado nas Ilhas Britânicas, onde atingiram uma espécie de estatuto de estrela: é quase obrigatório vermos Galanthus num jardim inglês durante os meses de Inverno. São eles sempre o primeiros bolbos a florir recebendo todas as atenções durante mais de um mês. Acabada a floração está na hora de propagar, já que é nesta altura que se levantam os conjuntos de bolbos, se dividem "in the green" e se voltam a plantar na terra sem os deixar secar. Uma razão apontada para o pouco sucesso em Portugal será a baixa qualidade dos bolbos que chegam ao nosso mercado e a secura a que ficam expostos durante o longo Verão, levando à morte dos mesmos por dessecação.  

Um outra planta na qual é impossível deixar de reparar é na Chimonanthus praecox, um magnífico arbusto nesta altura do ano, com delicadas flores translucidas, pendentes e que exalam um perfume único durante o Inverno. É originário da China, e encontra-se em cultivo no Reino Unido desde 1766, mas a primeira descrição desta planta foi feita por um português, Álvaro Semedo, à qual chamou "flor do 12º mês". Aqui dá-se um nome mais apropriado para a língua de camões. Não parece ter grandes exigências em relação ao solo onde cresce, mas um bom solo e com boa drenagem será sempre preferível. Leva algum tempo até florir, uns bons 7 anos por vezes, e não aprecia podas muito drásticas, sobretudo enquanto a planta for jovem. 

Por ultimo destaco a belíssima Edgeworthia chrysantha, planta também de origens orientais, do Nepal ao Japão, e que chega aos jardins do ocidente apenas no século XIX. É exigente quanto ao seu cultivo, necessitando de um solo rico em húmus e matéria orgânica, fresco mas, com boa drenagem. Prefere um local abrigado, com alguma sombra, e não gosta de secar totalmente no verão. A pesar de difícil, as suas flores de perfume intenso em pleno Inverno e o seu habito peculiar, fazem valer a pena o esforço de tentar o cultivo em jardim.  


O lago perto de Victoria Gate e a Casa das Palmeiras

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Diana it was really cold, but it was over some days later. Nevertheless, the cold made everything later this year, or possibly, this is the normal way, after all we had really mild winters in the past couple of years.

      Eliminar